O hype da capivara: buscas pelo animal na internet crescem no Brasil e no mundo

Danubia de Souza

Danubia de Souza

Dados do Google Trends, que verificam o volume de buscas na plataforma, apontam que desde o começo de 2021 as pesquisas pelo animal começaram a crescer, com buscas maiores em 2022 e um pico em abril de 2023, mês em que a história de Filó estava em destaque no Brasil.

A história da capivara Filó coroou um fenômeno que já estava em curso na internet desde 2022: um súbito e curioso interesse pelo maior roedor herbívoro do mundo.

Dados do Google Trends, que verificam o volume de buscas na plataforma, apontam que, desde o começo de 2021, as pesquisas pelo animal começaram a crescer, com buscas maiores em 2022 e um pico em abril de 2023, mês em que a história de Filó estava em destaque no Brasil.

Na escala do Google Trends, o valor de 100 representa o pico de popularidade de um termo. Um valor de 50 significa que o termo teve metade dessa popularidade. A pontuação 0, por sua vez, indica que o termo teve menos da 1% da popularidade do valor máximo.

Já no YouTube, dos 550 vídeos mais vistos que mencionam o nome capivara em inglês, capybara, 461 foram postados em 2023. A concentração é ainda maior nos vídeos com o nome do bicho em russo: 495 dos que tem mais views são deste ano.

O interesse, no entanto, não cresceu só no Brasil ou em países com registro de ocorrência do animal — o roedor pode ser encontrado em grande parte da América do Sul, segundo a Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza e dos Recursos Naturais.

A fria Belarus, por exemplo, país em que o roedor é conhecido em russo por капибара, tem um nível de buscas maior que o Brasil, segundo o Trends. Há, inclusive, memes em russo com a foto do animal.

Também há um volume relevante de buscas pelo animal no Japão, Taiwan, República Tcheca e Rússia.

Outro lugar que as capivaras ganharam destaque foi em Israel, país em que o interesse pelos bichos no Zoológico Bíblico de Jerusalém virou até notícia de jornal. Segundo a administração do zoológico, as buscas pelas capivaras começaram a crescer há cerca de um ano, e os animais seguem populares ainda hoje.

Fama na internet

O TikTok é outro ambiente em que as capivaras sul-americanas ganharam fama. Uma música russa feita em homenagem aos animais tem mais de 766 mil publicações até o momento na rede social.

A canção foi usada pelo Nagasaki Bio Park, localizado no Japão, para promover as capivaras que vivem no local — caracterizado por eles mesmos como o “paraíso das capivaras” no país asiático.

Vídeos que somam dezenas de milhões de vídeos sobre capivaras também foram publicados nos últimos meses no YouTube. Dos 10 mais vistos na plataforma com “capybara” no nome, 7 são dos últimos 12 meses, incluindo o mais visto, com 32 milhões de visualizações.

Fonte: G1

  • Patrocínio

  • Apoio

  • Tags

    Relacionados